Últimas:
Alegado homicida de agente da PSP de Évora diz que ‘não sabia que estava a atropelar uma pessoa’. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Crime

Alegado homicida de agente da PSP de Évora diz que ‘não sabia que estava a atropelar uma pessoa’.

Homicidio aconteceu a 13 de dezembro de 2020

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Foto: TDS (direitos reservados)

Julgamento em Évora de alegado homicida de agente da PSP

“Agente da PSP foi atropelado mortalmente a 13 de dezembro de 2020”

O Tribunal de Évora começou a julgar o homem de 52 anos acusado de homicídio do agente da PSP de Évora.

Na primeira sessão, sem a presença de jornalistas, o arguido falou e contou a sua versão dos factos.

O arguido, um guarda prisional, que está em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Évora, está acusado de um crime de violência doméstica, um crime de ofensa à integridade física e um crime de homicídio qualificado.

Na primeira sessão terá afirmado que ‘não sabia que estava a atropelar uma pessoa”, segundo fonte que assistiu ao depoimento.

O agente da PSP, de 45 anos, morreu na madrugada do dia 13 de dezembro de 2020, no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), horas depois de ser atropelado por uma viatura alegadamente conduzida pelo arguido.

De acordo com a PSP, o agente do Comando Distrital de Évora da Polícia, interveio numa situação de violência doméstica, acabando por ser atropelado pelo alegado agressor.

Na segunda sessão do julgamento, a mulher, que acompanhava o alegado homicida, referiu que, naquele dia, ambos “beberam bastante” no quiosque onde o agente da PSP, fora de serviço, estava a servir ao balcão.

Admitindo que o companheiro tenha sentido “ciúmes” por não gostar de a ver falar com outros homens, a mulher disse que o arguido lhe pediu então para se irem embora e que, mais tarde, a “agarrou nos cabelos” para a fazer entrar numa viatura.

Segundo a mulher, já no interior e com a viatura em movimento, foi ofendida pelo arguido, o que deu origem a “uma luta” entre ambos e foi então que ouviu “um barulho forte” e viu o vidro para-brisas “estilhaçado”, sem perceber o que tinha acontecido.

Crime

GNR deteve 8º indivíduo de grupo que traficava droga.

Ficou em prisão preventiva.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Sousel

“Prisão preventiva por tráfico de estupefacientes”

O Comando Territorial de Évora, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Estremoz, no dia 13 de outubro, deteve um homem de 28 anos por tráfico de estupefacientes, no concelho de Sousel.

No seguimento de uma investigação que já tinha permitido deter, no dia 30 de setembro, sete homens com idades compreendidas entre os 17 e os 40 anos, por tráfico de estupefacientes e posse de arma proibida, nos concelhos de Estremoz, Sousel e Campo Maior, foi possível apurar-se que o grupo organizado adquiria o produto estupefaciente e disponibilizava-o localmente e noutros concelhos.

No seguimento das diligências policiais, no 13 de outubro, foi realizada mais uma busca domiciliária e outra em veiculo, que permitiu apreender dois telemóveis, uma balança de precisão e uma viatura.

O detido foi presente ao Tribunal Judicial de Évora para primeiro interrogatório, tendo sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!