Siga-nos

Economia

Alcácer do Sal vai produzir 300 toneladas anuais de cevada para a Central de Cervejas 

Central de Cervejas vai criar uma fileira de produção de cevada dística

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O projeto começou a ser desenhado em 2019 em conjunto com a empresa Agri Marketplace e vai ser implementado pelos produtores de arroz da região do Vale do Sado com garantia de aquisição dessa produção pela Central de Cervejas.

“Central de Cervejas vai criar uma fileira de produção de cevada dística no concelho de Alcácer do Sal”

Com o objetivo de potenciar a inovação na cadeia de valor e de promover a agricultura nacional, a Central de Cervejas vai criar uma fileira de produção de cevada dística no concelho de Alcácer do Sal com a implantação de uma área total de 100 hectares de produção de cevada, distribuídos por três produtores agrícolas e com uma estimativa de produção anual total de 300 toneladas de cevada dística.

Esta iniciativa conjunta surge como resposta ao problema de escassez de água que a região do Vale do Sado tem sofrido nos últimos anos, acrescido dos constrangimentos de acesso a água em 2020, como consequência de obras a decorrer nos canais de rega, o que afetou negativamente a produção de arroz.

A criação desta nova fileira de cevada em Alcácer do Sal é também uma oportunidade para os produtores agrícolas desta região mitigarem efeitos da situação de crise dos últimos anos, através deste rendimento alternativo e, simultaneamente, uma diversificação agrícola a longo prazo, através da implementação de uma cultura de sequeiro.

Também foi possível dinamizar outras entidades da região, como a APARROZ – Agrupamento de Produtores de Arroz do Vale do Sado, através da sua prestação de serviços de beneficiação e armazenamento do cereal.

Economia

Exportações de mármore próximas dos 270 milhões de 2018.

Assimagra divulgou hoje resultados.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Exportações de pedra natural portuguesa

” Valores na ordem dos 270 milhões de euros “

As exportações de pedra natural portuguesa registadas este ano, até setembro, continuam abaixo dos valores de 2019, mas estão muito próximas dos 270 milhões de euros registados em 2018, revelou a Assimagra.

Em comunicado a Associação das Empresas Portuguesas de Recursos Minerais refere que 2019 foi um ano recorde, com o valor agregado de exportações a ultrapassar ligeiramente os 320 milhões de euros, mas considera que os valores deste ano refletem uma recuperação “muito positiva” face às “expectativas de quebra” no início da pandemia de covid-19.

O principal destino das exportações de pedra natural portuguesa continua a ser a Europa, com um total de exportações de 1,3 milhões de toneladas até setembro, a um preço médio de 201,23 euros por tonelada, refere ainda o documento.

Continuar a ler

error: Content is protected !!