Siga-nos

Artes

Alcácer do Sal tem novo museu moderno e interativo

A inauguração do renovado e moderno Museu Municipal Pedro Nunes realiza-se no dia 6 de abril, às 15h30 e contará também com a atuação da fadista Katia Guerreiro e das bandas da Sociedade Filarmónica Amizade Visconde de Alcácer e Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba.

Avatar

Publicado

em

Consultar num ecrã interativo informações sobre uma peça em exposição ou aceder a mais dados sobre o espólio arqueológico através de smartphone ou tablets com recurso ao sistema de QRcodes são duas das possibilidades disponibilizadas pelo renovado Museu Municipal Pedro Nunes, em Alcácer do Sal.

Alcácer do Sal apresenta Museu moderno e interativo

“Numa altura em que praticamente ninguém no país inaugura museus, Alcácer prepara-se para abrir as portas do Museu Municipal Pedro Nunes, que mostra o passado desta terra magnífica visto à luz da modernidade”, disse o Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença na conferência de imprensa de apresentação do espaço museológico, que foi alvo de uma ampla empreitada de requalificação, cofinanciada em 85 por cento por fundos da União Europeia.

O recurso a aplicações interativas, que facilitem a transmissão do conhecimento e potenciem a experiência do visitante é uma das apostas deste museu. “No fundo, pretende-se que o utilizador sinta que entrou numa viagem no tempo, cujo limite é a sua imaginação”, prosseguiu o autarca, que referiu ainda que, a par do material exposto e de um guia em papel da exposição, os visitantes poderão assistir a um vídeo de making-off do museu, uma experiência maximizada que estará em exibição na zona do coro-alto.

Recorde-se o Museu Pedro Nunes encerrou ao público em 2007, devido ao seu avançado estado de degradação. Entre 2008 e 2011 acolheu escavações do Setor de Arqueologia e Museologia da Câmara Municipal e só em 2017 tiveram início as obras de requalificação do espaço, intervenção que, com a inclusão da museografia, ascendeu a 1,5 milhões de euros.

A conferência de imprensa decorreu hoje (26 de março) na Pousada do Castelo D. Afonso II e contou com a presença do Executivo Municipal e as intervenções do edil Vítor Proença, da coordenadora do Gabinete de Arqueologia e Museologia da Câmara Municipal, Marisol Ferreira e de Pedro Sobral, do projeto de museologia, em cujo discurso salientou o facto de Alcácer do Sal ter uma “história muito aliciante do ponto de vista da museografia, além das suas peças serem muito boas e bastante interessantes”.

“É um orgulho ver este projeto concretizar-se após mais de uma década de encerramento do museu e depois de ultrapassados tantos obstáculos, que enfrentámos com garra e determinação. Compensou e, dia 6 de abril, todos poderão ver o resultado dos nossos esforços na inauguração desta casa da cultura, com muito para oferecer e descobrir”, completou o Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença.

Com ênfase em Alcácer, enquanto cidade portuária, e no rio Sado, enquanto elemento determinante no desenvolvimento deste núcleo urbano, o Museu Municipal Pedro Nunes vai ter patente um conjunto variado de espólio recolhido durante os trabalhos arqueológicos na Igreja do Espírito Santo, no Castelo de Alcácer do Sal e na Rua do Rato e que vai do séc. VI a.C. ao séc. XIX, fazendo inclusive referência ao grande matemático Pedro Nunes.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Artes

Inaugurado o Centro Interpretativo do Cromeleque dos Almendres

A cerimónia de inauguração culminou com uma homenagem ao Arqueólogo Henrique Leonor Pina, falecido há precisamente um ano

TDS noticias

Publicado

em

Constituído por um edifício cuidadosamente concebido para se enquadrar na paisagem, onde se situa um posto de turismo e uma loja temática, envolvido por um parque de lazer onde estão implantados painéis informativos em formato de circuito.

O novo Centro Interpretativo do Cromeleque dos Almendres espera os visitantes à saída da aldeia de Nª Srª de Guadalupe, precisamente no início da estrada que conduz ao monumento.

Nascido da iniciativa da União de Freguesias e da Câmara Municipal, o projeto encontrou viabilidade através de uma feliz parceria entre a Câmara, proprietária do terreno, e a empresa Ebora Megalithica, que o submeteu com sucesso a financiamento público através do programa “Valorizar” do Turismo de Portugal.

A inauguração teve lugar no passado sábado, 15 de junho, com a presença do Presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, dos Vereadores João Rodrigues e Eduardo Luciano, da Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, do Presidente da União de Freguesias de Tourega e Guadalupe, Joaquim Pimpão, e ainda de outras individualidades, entre elas o Professor Galopim de Carvalho, os representantes da empresa Ebora Megalithica, responsável pelo projeto e pela exploração do Centro Interpretativo, e também os proprietários do terreno onde se situa o Cromeleque.

Nas intervenções que proferiram o Presidente da União de Freguesias, o Presidente da Câmara Municipal e a Diretora Regional de Cultura, foram comuns os votos de congratulação pela iniciativa agora concretizada, que será um ponto importante para a promoção da freguesia e do Concelho, com consequente melhoria na qualidade de vida da população.

Relevante foi o anúncio de Carlos Pinto de Sá sobre o recente acordo com os proprietários do terreno onde está situado o Cromeleque dos Almendres que constitui, segundo o autarca, um passo fundamental para a gestão do processo de conservação, promoção e uso em segurança do monumento para fins turísticos. O Presidente da Câmara Municipal aproveitou ainda para anunciar o apoio oficial, expresso por unanimidade, da OCPM – Organização das Cidades Património Mundial, à candidatura de Évora a Cidade Capital Europeia da Cultura 2027.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento