Últimas:
Funcionárias do Lar de Évora com Covid choram em desespero. (ver vídeo) – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Notícia TDS

Funcionárias do Lar de Évora com Covid choram em desespero. (ver vídeo)

8 dias após início do surto em lar de Évora entidades não resolveram problema dos idosos nem das funcionárias.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Surto do Lar da Sizuda

” Oito dias não chegaram para instituições encontrarem soluções para idosos e funcionárias infectados com Covid 19″

Estão 29 idosos e várias funcionárias, todos infectados com Covid 19, no Lar da Sizuda, em Évora, sem as autoridades tomarem medidas para solucionar o problema.

Oito dias após o primeiro caso nem um idoso foi transferido. As funcionárias estão igualmente infectadas e sem poderem abandonar o Lar por ordem da autoridade de saúde.

Apesar de doentes não podem sair para confinamento em casa.

O desespero é total com funcionárias a chorarem e a pedirem ajuda. (ver vídeo)

Até hoje não foi dada qualquer ajuda aos idosos nem às funcionárias por parte das entidades envolvidas. Nem o transporte de alimentos foi feito por entidades externas ao Lar.

“A irresponsabilidade e a falta de ação das entidades é de tal forma que ao fim de 8 dias a situação está por resolver”, referiu fonte próxima do Lar à TDS.

O anúncio da transferência dos idosos foi feito para segunda-feira mas tem vindo a ser adiada.

A autarquia e a protecção civil de Évora afirmam que o surto de Legionella não está na origem do atraso (ver AQUI) e que continuam a ser feitas obras de adaptação do espaço.

A saúde pública comanda à distância. O delegado de saúde não foi ao lar segundo a TDS apurou.( No surto de Reguengos alegou ter mais de 70 anos e fazer parte de grupo de risco ).

Todos os relatos da saúde pública são resultado dos relatórios dos médicos do ACES (Agrupamento de Centros de Saúde do Alentejo Central) que tem estado a realizar diagnósticos aos doentes quase diariamente.

A segurança social pediu uma equipa de ‘cuidadores’ à Cruz Vermelha Portuguesa mas entre testes que tiveram que realizar e ações de formação só agora existe luz verde para avançarem.

Os idosos e as funcionárias permanecem no Lar. Estão todos com Covid 19.

Continua a não haver data para a sua transferência para a residência universitária.

Notícia TDS

Passadiços no Pulo do Lobo custam quase meio milhão de euros e alteram a imagem da encosta.

A obra é financiada por fundos comunitários. Veja imagens de drone.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

foto e vídeo: TDS (direitos reservados)

Câmara de Serpa investe mais de 460 mil euros na construção dos passadiços no Pulo do Lobo.

“Passadiços estão quase prontos”

A obra vai permitir descer a encosta e observar as várias espécies de flora e fauna em pleno Parque Natural do Vale do Guadiana.

“A criação dos passadiços do Pulo do Lobo decorre da estratégia de desenvolvimento traçada pela Câmara de Serpa, onde a salvaguarda e valorização do património são determinantes, neste caso do património natural”, referiu Tomé Pires, presidente da autarquia, acrescentando que os passadiços que estão a ser construídos pela encosta da margem esquerda do Guadiana e que se estendem até à queda de água vão “valorizar a paisagem, permitindo a circulação e acesso à margem do Rio Guadiana, nas imediações da cascata, através de estruturas [em madeira] de acesso exclusivamente pedonal e integradas no meio natural”.

Os 50 metros, íngremes, até à margem do rio vão poder ser feitos em segurança, através de uma escadaria em madeira, com cerca de 300 degraus.

Ao longo das escadas, a cada 18 degraus, existem patamares para descanso dos visitantes e que servem também como miradouros.

Os passadiços oferecem uma vista privilegiada para a cascata do Pulo do Lobo, uma queda de água situada no Rio Guadiana.

Formada pelas águas do Rio Guadiana, a cascata tem “águas claras e cristalinas” que formam “um mar de espuma pelo meio de umas montanhas rochosas”, desaguando depois num lago com águas calmas.

O Pulo do Lobo é também um lugar de lendas e histórias.

A mais conhecida dá conta de um “homem audaz ou um lobo acossado que poderiam transpor só com um salto o desnível estreito e natural”.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!