Siga-nos

Economia

Internacionalização da Economia do Alentejo Litoral debatida em Alcácer do Sal

Promovida pela Câmara Municipal de Alcácer Sal em conjunto com o Grupo de Trabalho do Empreendedorismo e Empregabilidade da Plataforma Supraconcelhia do Alentejo Litoral, a iniciativa, intitulada “Internacionalização da Economia do Alentejo Litoral”, arrancou com as boas-vindas pelo vereador Nuno Pestana, seguindo-se um painel de convidados que discutiu os desafios da internacionalização.

TDS noticias

Publicado

em

Proporcionar um espaço de partilha e de debate em torno do desenvolvimento económico do Alentejo Litoral no quadro da sua internacionalização, seja a partir da capacidade de atração de novo investimento direto estrangeiro, seja a partir do fortalecimento da sua presença em mercados externos ou da procura de novos mercados por parte das atividades económicas já existentes no território foram os principais objetivos da conferência que se realizou hoje (7 de junho 2019), no Auditório Municipal  de Alcácer do Sal.

No período da tarde decorreram três mesas redondas sobre ideias de negócio de pequenos empresários, redes de apoio à internacionalização de pequenas e médias empresas e projetos inovadores.

Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal de Alcácer interveio no encerramento da conferência e parabenizou a organização pela mesma, dado “ser uma abordagem que não é vulgar nas plataformas supraconcelhias e esta, em particular, trilhou o caminho da inovação, através do empreendedorismo e da internacionalização da economia”.

Incentivou os empresários de pequenas e médias empresas presentes a continuarem o bom trabalho, num mundo onde a internacionalização dos produtos é bastante desafiante dadas as particularidades de cada mercado de cada país.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Economia

Central fotovoltaica de Évora sem apoios do estado

Tem uma área de 55 hectares e uma capacidade total instalada de 28,8 megawatts

TDS noticias

Publicado

em

A instalação de energia solar de Vale de Moura é das primeiras centrais fotovoltaicas na Península Ibérica a ser explorada sem ajudas públicas.

A central fotovoltaica de Vale de Moura, no concelho de Évora – uma das primeiras em toda a Península Ibérica a ser explorada sem qualquer tipo de subsídios públicos – entrou em funcionamento no passado dia 14 de Junho, anunciou o grupo energético Axpo.

Sobre a central solar fotovoltaica de Vale de Moura – Évora

  • A central tem uma capacidade total instalada de 28,8 megawatts e vai produzir anualmente mais de 52 gigawatts-hora, o equivalente ao consumo médio anual de 10 mil habitações.
  • A venda da energia produzida pela central será feita em regime de mercado, graças a um contrato pioneiro de compra de energia (PPA) a 10 anos, com a Axpo, que garante a comercialização de energia até 2029.
  • O projeto, desenvolvido e promovido pelo grupo Hyperion Renewables, conta com o fundo de investimento Mirova como acionista maioritário e permitirá evitar a emissão de mais de 110.000 toneladas de CO2 por ano.

Com uma área de 55 hectares e uma capacidade total instalada de 28,8 mw vai produzir mais de 52 gigawatts-hora de energia limpa por ano – o equivalente ao consumo médio anual de quase 10.000 habitações.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento