Exatamente por isso os autarcas do baixo Alentejo pedem ao governo o reforço de equipas.

“Se houver um surto num lar que infecte muitos funcionários quem é que cuida dos utentes”, questionou Jorge Rosa.

Segundo Jorge Rosa, “é preciso haver equipas para situações mais continuadas”, porque, “nos casos em que funcionários infetados tenham de ficar 14 dias em casa, estamos a falar de duas semanas em que essas equipas têm de permanecer nos lares”.

Beja e Ourique tem sido os concelhos mais castigados com surtos em lares no Baixo Alentejo.